Minha experiência com Uber

Recentemente o Uber desativou a opção Pet e deixou na mão vários papais e mamães que usavam este meio para sair com seus cães, gatos, coelhos etc.

A justificativa do Uber foi que a maioria dos usuários estavam reclamando da higiene e limpeza dos carros após um cliente pet. E então, resolveram tirar esta opção do aplicativo.

Ainda é possível levar seu bichinho de estimação em carros da Uber, porém antes de embarcar é necessário que você entre em contato com o motorista para ver se ele aceita ou não este tipo de viagem.

Eu nunca tive problemas com nenhum motorista do Uber após esta mudança. Porém confesso que me incomoda bastante ter que ligar para o motorista antes. Sendo que na maioria das vezes, este contato não é realizado por causa do próprio sistema deles. A rede sempre está ocupada.

A nossa sorte é que os nossos cães são pequenos e a maioria não se importa de transportar cães de pequeno porte já que boa parte deles vai no colo do seu dono. 

Porém existe um ponto que me intriga bastante. Antigamente, os carros que faziam parte do Uber Pet disponibilizavam uma capa protetora para os bancos. Pelos, babas e qualquer outra sujeira ficariam ali, na capa. E os outros passageiros não teriam problemas. 

Eu perdi as contas de quantas viagens eu fiz com o Uber e em nenhuma delas o motorista utilizou tal capa. Então se o motivo era a higiene do carro, o problema não está com os cães ou os animais e sim com o próprio motorista, não é?


Nós já falamos sobre isso, mas não custa relembrar. Para quem não for aceito pelos motoristas do Uber, ainda temos outra opção! O Easy Táxi junto com a Dog Chow continuam com o serviço e aceitam animais em seus carros. Eles tem a opção pet em seu aplicativo! Talvez os preços não sejam tão competitivos como os do Uber, porém não resta muita alternativa né?

Enviei email para a assessoria do Uber perguntando sobre estas mudanças, os motivos e se havia alguma chance de ter esta opção novamente, mas até o momento não tivemos respostas. Infelizmente.



Mãe de pet... também é mãe.


Eu queria MUITO que cada um de vocês lesse o texto inteiro. Mesmo que ele fique longo. Talvez eu não consiga expressar tudo em poucas linhas, mas prometo que vou tentar.

Muita gente não entende e outras não aceitam o termo "mãe de pet". Juro, eu já participei de discussões bem intensas sobre o tema. Confesso que meus pais, de início, não aceitavam muito bem quando me ouviam dizer que eu era mãe de coelho. E agora, mãe de coelhos, cachorros e de hamster. 

Eu nunca consegui entender o porque de não aceitar. Sou super defensora da ideia de que cada um tem sua vida para cuidar. Desde que seu ato não afete ninguém, que mal tem? Quando nós nos denominamos mãe, nós não estamos tentando diminuir ninguém.

Entendemos que ser mãe de filho humano é complicado. É árduo. E nem sempre tão reconhecido. E muito menos recompensado. Eu sei disso porque eu não nasci de ovo. Eu tenho uma mãe batalhadora. Que cuidou de mim e mais dois irmãos. Eu tenho amigas que são mães solteiras. Ou que se desdobram para trabalhar e cuidar dos filhos. Fazem dupla, tripla jornada.

Mas por que eu não posso me considerar mãe daquele que eu cuido? Só porque ele não veio do meu ventre? Só porque ele não fala? Ou porque é... um animal?

Mãe não é só palavra. Mãe é sentimento. E é disso que estamos falando! 

Quando ouço palavras direcionadas a mães de pet como "frescurinha" ou pedem para que eu arranje um filho de "verdade", eu questiono... como assim? Será que quem me julga ou quem aponta o dedo sabe da minha história?

Eu sempre quis ter filho, humano, de verdade, como alguns dizem. Porém eu perdi meu primeiro filho, o Andrei, com 5 meses de gestação. E desde então, tem sido uma batalha incessante para engravidar. Há algumas semanas atrás, o meu diagnóstico foi fechado e bateram o martelo: não, Dani, você não poderá ser mãe.

Meu chão parecia abrir diante dos meus pés. Foi uma das piores sensações da minha vida. E ainda estou tentando digerir tudo isso... tentando aceitar a minha condição. 

O que quero dizer é... nem toda mulher que considera seu bicho de estimação como filho é uma "sem noção" que não tem mais o que fazer. Ela pode ter sofrido uma perda. Ela pode ter o sonho sim de ser mãe de "um filho de verdade", mas por inúmeros motivos, não consegue. Ou simplesmente ter optado por não ter nenhum filho do ventre.

E ai? Quem pode julgar?

Se eu estou passando toda a minha frustração de não poder ser mãe para os meus animais... até pode ser, mas me pergunto... por qual motivo eu sou proibida disso? 

Que mal estou causando?

Como eu já disse. Eu repito. Mãe não é só quem dá a luz. Mãe é sentimento. Mãe é cuidado. Mãe é carinho. E tudo isso, eu dou aos meus.

Inclusive, no dicionário, a palavra mãe tem também o significado: "pessoa que dispensa cuidados maternais, que protege, que dá assistência a quem precisa."

Ficam aqui nossos votos de que todas as mamães tenham um dia maravilhoso. E o meu pedido, sincero, de quem nos julga repense as suas acusações. Muito amor. Para todos.


O frio chegou!

O frio chegou! Alegria para uns, tristeza para outros. Aqui em casa estávamos contando os dias para que o frio chegasse em terras paulistas. Bom, para quem não sabe, coelhos não se sentem bem com temperaturas altas e em alguns casos chegam a óbito. 

Meus cães também são super peludos e estavam sofrendo com o calor.

Apesar de saber que todos iriam viver bem melhor com temperaturas baixas, a mamãe aqui não gosta muito de frio. E foi mudar o tempo e a gripe já tomou conta! Estou de molho, mas não pude deixar de dar umas dicas bacanas.

Afinal, coelhouco é coelhouco e somente quem é, entende.

Eu não sou muito fã das lojas Renner, mas de uns tempos pra cá, eu tenho olhado mais as coleções. Talvez a idade esteja chegando e o gosto também está mudando? Ou será que toda mulher é assim e tem suas fases? Me digam ai! hehe


Então, algumas meninas já tinham me dito sobre umas canetas e bloquinhos de anotação com coelhinhos na frente. Confesso que comprei a caneta. Não a uso, mas tenho. Na semana passada, recebi uma mega caixa da Renner (quem me acompanha no snap deve ter visto) e adivinhem? Coisas lindas, fofas, pro frio e de... COELHO!

Eu já estou super usando o roupão e a pantufinha! Para quem odeia frio e se sente no polo norte com qual queda de temperatura, juro, vale a pena! 

Então, Coelhoucas, corram para as lojas Renner que tem muita coisa linda de coelhinho. E ainda para nos esquentar porque sinceramente... frio, só pra coelho! haha

Roupão do Pernalonga: 129,90

Pantufinhas: 79,90